Diácono Dyego

será ordenado Padre

No dia 29 de Outubro, às 15h, a Igreja de Florianópolis se alegra com a Ordenação Presbiteral do Diácono Dyego Delfino.

A Igreja Arquidiocesana e, de forma muito particular, a Paróquia Nossa Senhora do Desterro alegra-se com o fruto da oração de toda a comunidade orante. O chamado para o sacerdócio é uma doação de amor e de uma vida em prol do próximo.  

 

O Papa Francisco, exorta: “Nenhuma vocação nasce por si, nem vive para si. A vocação brota do coração de Deus e germina na terra boa do povo fiel, na experiência do amor fraterno”.

Na vida do Diácono Dyego, a semente ao sacerdócio foi cultivada no Coração de Jesus, mas foi germinada “na terra boa do povo fiel” da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, no bairro da Fazenda, em Itajaí!Dona Terezinha, sua mãe nos fala: “O Dyego foi um menino muito calmo, obediente, envergonhado.  Creio que Deus, já o guardava das tentações do mundo. Após fazer a sua primeira Comunhão, ele ia às missas, e mais nada!”
Um certo dia, Deus começou um grande mover na vida do pequenino Dyego, conta sua mãe que “seu irmão mais novo, depois de fazer a Primeira Eucaristia, começou a participar do grupo dos coroinhas e o convidou a servir o altar através desse ministério. A partir desse momento, começou a surgir um interesse especial pelas coisas de Deus”, no coração do Dyego.
O Diácono, nos contou:  “No ano de 2006 alguns coroinhas, dentre eles meu irmão e eu, fomos convidados pela equipe da pastoral Vocacional para irmos conhecer o seminário em Azambuja. O desejo era apenas participar dos encontros para conhecer, pois grandes foram as insistências para estarmos lá. Daquele grupinho de quatro coroinhas, eu era o único com idade para entrar no seminário no ano seguinte. Por isso, recebi uma carta  dos padres formadores com o convite de entrar no seminário. Foram alguns dias de pensamento, até que resolvi, com a ajuda de meus pais  tentar. Creio que Deus não teria usado de tantas pessoas para que insistissem no convite, se Ele não tivesse algo para me dizer com aquela minha escolha.”
O Jovem Dyego dá um passo muito importante e, no dia 10 de Fevereiro de 2007, ingressa no Seminário Menor de nossa Arquidiocese.  Sua Mãe nos fala que neste dia “Estava feliz, mas senti que tiraram um pedaço de mim. Quando voltei para casa, fiquei até doente. Meu conforto foi saber que ele estava bem.”

« É difícil falar, sem se emocionar. 
Agradeço a Deus pela graça de poder receber e cuidar desse presente que a mim foi confiado. Minha maior alegria é devolver essa preciosidade ao serviços do reino de Deus, ser sua mãe,

e uma graça! Te amo meu filho!»

© Copyright LBsistemas 2013 by Nidrev

  • facebook-square
  • twitter-bird2-square